Menu Content/Inhalt
Bem-vindo arrow Novidades arrow Gasolina custa dobro do GPL

Autenticação

Acesso à área reservada com informação para associados com as quotas regularizadas.

Se for o primeiro acesso, introduza o Nome de utilizador e Palavra-passe indicados aquando da inscrição na ANIC-GPL.






Perdeu a palavra-passe?

Se continuar com dificuldade em aceder depois de confirmar as quotas e pedir nova palavra-passe, contacte-nos, por favor.

Subscrição de notificações

Gasolina custa dobro do GPL criar PDF versão para impressão enviar por e-mail

Combustíveis: Alternativa exige adaptação do automóvel

Gasolina custa dobro do GPL

O diploma que facilita o uso do GPL, um combustível que custa actualmente cerca de metade do preço da gasolina, vai ser reapreciado no próximo dia 13 pela Assembleia da República.

 

O estacionamento em espaços subterrâneos e a dispensa do dístico no veículo são as principais alterações do diploma que o Presidente da República devolveu ao Parlamento para correcções formais, e que deverá ser "aprovado o mais rapidamente possível", disse ao CM, Hortense Martins, do PS.

A reapreciação do decreto-lei, proposto pelo PS, teve de ser adiada devido ao Orçamento do Estado para 2013, mas já tem nova data, pois trata-se de facilitar o acesso a um "combustível mais barato e ecológico", explicou a deputada socialista.

Além de ser mais barato do que a gasolina (1,7 euros/litro), o gás liquefeito (0,85 euros/litro) poderá contribuir para atenuar a crise nas empresas do sector automóvel. "Muitas tiveram de acabar", admite ao CM o secretário-geral da Associação Nacional das Empresas do Comércio e da Reparação Automóvel, Neves da Silva. Segundo a AEGPL, associação europeia de GPL, em Portugal circulam cerca de 40 mil viaturas com este combustível.

Quanto às questões que se têm colocado acerca da segurança, "não foi reportado até agora nenhum acidente devido à libertação de GPL, dada a existência de várias válvulas de segurança", assegura um especialista. Em caso de colisão, o GPL dispersa-se no ar muito mais rapidamente do que a gasolina. As petrolíferas também estão interessadas na expansão do GPL.

 

Fonte: Correio da Manhã

Actualizado em ( 03-Dez-2012 )
 
< Artigo anterior   Artigo seguinte >
designed by made your web.com